segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Novo estudo associa a escolha de cores de Van Gogh a sua saúde mental.

Tradução do texto de Henri Neuendorf, do site Artnet News - 23/2/2016. 


Vincent Van Gogh - 'O Quarto' (1888) - Foto: Wikimedia Commons

Um novo estudo afirma ter encontrado uma correlação entre o escurecimento da paleta de Van Gogh em sua obra e o declínio de sua saúde mental.

O estudo, baseado nas três versões da pintura O Quarto, realizadas por Van Gogh entre 1888 e 1889, foi coordenado pelo Instituto de Arte de Chicago e coincide com uma mostra exibida atualmente no museu, na qual se destacam as três versões do quarto do artista em sua residência em Arles, sul da França.

Um desbotamento dos pigmentos nos últimos 128 anos empalideceu significativamente as pinturas, de forma que elas parecem apresentar cores similares, embora fossem bem distintas umas das outras no momento em que acabaram de ser pintadas.

No decorrer dos anos, reações químicas naturais na pintura e no pigmento alteraram o tom e a luminosidade das obras. "Elas são sensíveis à luz e isso explica por que o desvanecimento ocorre de fora para dentro", explicou ao jornal The Guardian Francesca Casadio, cientista especializada em conservação de arte na Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS).

Vincent Van Gogh - 'O Quarto' (1889) - Foto: The Art Institute of Chicago

Pesquisadores da AAAS usaram uma técnica conhecida como espectrometria de fluorescência do raio X para mostrar que o artista pintou cada versão progressivamente mais escura que a anterior. Os cientistas sugerem que a mudança deveu-se à gradual deterioração de sua psique.

"À primeira vista, elas parecem iguais", disse Casadio, "Mas quando você vai mais fundo começa a ver que elas mostram muito mais sobre a vida do artista e sua busca por um lar."

Van Gogh finalizou sua primeira versão de O Quarto em 1888, logo após mudar-se para Arles a fim de estabelecer uma comunidade de artistas. Essa pintura caracteriza-se por tons quentes e uma iluminação suave.

Devido a um dano causado por água na primeira tela, o artista recriou a pintura em 1889 e as cores tornam-se marcadamente mais escuras e frias. Essa versão foi criada em um hospício na cidade de Saint-Rémy. A essa altura, a relação de Van Gogh com seu amigo e colaborador de longa data, Paul Gauguin, havia acabado em briga, e o artista cortou uma parte de sua orelha num acesso de loucura.

Vincent Van Gogh - 'O Quarto' (1889) - Foto: Wikimedia Commons

Van Gogh pintou também uma terceira e menor versão de seu quarto como um presente a sua mãe e sua irmã e, conforme o jornal The Huffington Post, menos de um ano depois suicidou-se com um tiro.

Casadio admitiu que a acuidade do estudo possui certas limitações e que as cores reproduzidas pelos cientistas podem não apresentar a aparência real das pinturas no momento em que a tinta ainda estava fresca na tela do artista.

"A menos que se inventasse uma máquina do tempo, elas serão apenas um resultado aproximado." ela concluiu. Contudo, proporcionam um insight fascinante do estado de espírito de um dos pintores mais lendários da história da arte.

2 comentários:

  1. Incrivel como a solidão afeta nossas vidas e isso inclui de uma grande e brilhante mente como Van Gogh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, creio que a solidão possa afetar, e muito, a nossa percepção da realidade!

      Excluir