segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Gonçalves, MG. Um santuário da natureza encravado na Serra da Mantiqueira.

Cada vez que volto a Gonçalves, mais me apaixono por aquele lugar. Para quem não sabe, é uma cidadezinha charmosa e pitoresca ao Sul de Minas Gerais, abençoada por uma das paisagens naturais mais deslumbrantes que já vi. Com cerca de 4.000 habitantes, fica a 1.350 metros de altitude, mas tem picos que ultrapassam os 2.000 metros. E nem fica tão longe assim: cerca de três horas de São Paulo. Uma viagem que fez do meu feriado de 7 de Setembro um verdadeiro presente dos deuses. 

Paisagens de tirar o fôlego... - Foto: Simone Catto

A paisagem é um desbunde de linda. A mata subtropical de altitude da Serra da Mantiqueira é uma imensidão verde com araucárias, inúmeras nascentes, cachoeiras, montanhas e penhascos com uma beleza a perder de vista, fazendo a gente sentir que a vida é bela e o mundo uma dádiva divina...

Respire fundo!... - Foto: Simone Catto

Vários bichinhos circulam por lá: pássaros de múltiplas espécies, tatus, macacos, jaguatiricas... um paraíso!

O passarinho reina absoluto, dono do mundo!... - Foto: Simone Catto

Gonçalves é um lugar para você ir com alguém muito especial ou em petit comité, com um grupo seleto de pessoas. Não é adequado para famílias grandes e ruidosas. O astral lá é outro, é pra gente cool e low profile. Gente que aprecia esporte, natureza, conforto, boa gastronomia ou, como é o meu caso, tudo isso junto! rs.

Para quem gosta de esportes em meio à natureza, é um prato cheio. Dá para fazer trekking, rapel, boia-cross, cavalgadas, trilhas e, é claro, tomar banho nas cachoeiras – são várias, uma mais bonita que a outra. Mas fique esperto: a água é beeeeem fria, melhor deixar os mergulhos para o verão!

Cachoeira do Simão - Foto: www.viagenseturismo.tur.br. 

Eu estava louca para fazer uma trilha. Felizmente, viajei com gente cheia de energia e disposição. E lá fomos nós para a Pedra do Forno, uma grande formação rochosa a 1.970 metros de altitude. Depois de nos abastecermos com água no restaurante Zé do Ovídio, que fica ao sopé da montanha, iniciamos nossa escalada. A trilha é árdua, no meio da mata. Devido à inclinação, a subida leva facilmente mais de uma hora. É para quem tem bom condicionamento físico, senão nem pensar! 

A entrada do restaurante Zé do Ovídio, lugar agradável e bem conhecido por lá. - Foto: Simone Catto

Foto: Simone Catto

Ainda no sopé da montanha... - Foto: Simone Catto

No meio da trilha, um portão que dá sabe-se lá para onde! - Foto: Simone Catto

Depois de subir, subir, subir... chegamos à base da pedra, que tem uma escada de ferro presa à rocha. Para subir nela, é preciso uma boa dose de flexibilidade - me senti a própria "mulher-aranha"!!! rsrs... É nessas horas que a gente vê os benefícios da ginástica. Depois de escalar a pedra... A RECOMPENSA!!! Topei com a visão do paraíso. Um mar de montanhas e verde misturados com o céu, simplesmente espetacular! Lá de cima dá para avistar a famosa Pedra do Baú, que conheci na minha infância, nas viagens da escola para o acampamento Paiol Grande... bons tempos, aqueles!

Depois da escalada, o triunfo! - Foto: Simone Catto

E a vista todinha minha... - Foto: Simone Catto

No topo da Pedra do Forno existe, também, uma cruz e uma singela capelinha. Já entrei e fiz meu pedido para garantir!

Foto: Simone Catto

Lá do alto dá para avistar Campos do Jordão, Monte Verde e a Pedra de São Domingos, nosso destino no dia seguinte.

Depois de descer da Pedra do Forno, paramos novamente no Zé do Ovídio, mas, desta vez, para tomar uma caipirinha no capricho acompanhada de truta frita, fresquinha! Depois de todo o esforço, uma pausa mais do que merecida! 

A minha caipirinha... de cachaça mineira, lógico! rs - Foto: Simone Catto

O pessoal se acabou na truta frita! - Foto: Simone Catto

Se você for a Gonçalves e estiver a fim de encarar a trilha da Pedra do Forno, vá na direção do bairro da Terra Fria, que fica a 12 km da cidade. Não tem erro. Mas é bom se preparar fisicamente para "aguentar o tranco"!

No dia seguinte, seguimos para a Pedra de São Domingos com um jipão "mega-blaster" turbinado que chega até Marte, se for preciso!! Rs. O carro realmente tem de ser possante para subir lá. Não é para menos: a estradinha é estreita, sinuosa e, além disso, esse pico é ainda mais alto que a Pedra do Forno: tem 2050 metros de altitude.

Nem preciso dizer que a visão de lá também é um espetáculo, de 360 graus, abrangendo grande parte da Serra da Mantiqueira. Dá para ver algumas cidades do sul de Minas, como Cambuí e Córrego do Bom Jesus, que ficam coladinhas uma na outra.

Vivaaaaaa! Cheguei! - Foto: Simone Catto

A vista da Pedra de São Domingos... afffff!!!! - Foto: Simone Catto

Ai, ai, ai... quero voltar! - Foto: Simone Catto

Ufa! De tanto escrever sobre escaladas, até perdi o fôlego... Mas fique ligado(a). Nos próximos posts darei dicas de hospedagem, mostrarei lugares legais no Centro e falarei um pouco sobre a gastronomia de Gonçalves, que tem restaurantes deliciosos em cenários paradisíacos - e por excelente custo-benefício. Até mais!

2 comentários:

  1. Gonçalves é isso tudo mesmo. rsrsrs
    A dica para os aventureiros é subir a Pedra de S. Domingos de bike.

    ResponderExcluir
  2. Não tem exagero não, lá é ótimo mesmo! Recomendo a Pousada Passaredo, que é óoooooooooooootima, perto das melhores atrações rurais, tem mata de araucárias e trilhas na propriedade, e riacho limpinho atrás dos chalés. Os donos Regina e Sig são queridéssimos, capricham em todos detalhes, e só dão dicas quentes.

    ResponderExcluir