sábado, 7 de maio de 2016

Mecânico desempregado pode ter encontrado quadro perdido de Renoir.

Fonte: Marie-Amélie Blin - Le Figaro - publicado em 6/5/2016 às 14h11 e atualizado às 19h43

O que você faria se comprasse um quadro de segunda mão no Mercado Livre e descobrisse que pudesse se tratar de uma pintura de Renoir? Foi mais ou menos isso o que aconteceu com Ahmed Ziane, um mecânico desempregado de 50 anos que mora na região de Villeurbanne, perto da cidade de Lyon, na França.

Tudo começou numa bela noite de primavera em 2014. Como sempre costuma fazer, Ziane estava navegando no site Le Bon Coin, no qual os franceses anunciam os mais variados objetos para venda. O mecânico tem por hábito comprar produtos nesse tipo de site e também em feiras de antiguidades, a fim de revendê-los e complementar sua renda. Naquela noite, uma pintura à venda no Le Bon Coin chamou sua atenção: uma paisagem não assinada que ele pensou ser de autoria de Claude-Joseph Vernet, um artista do século XVIII da cidade de Avignon. Ziane conseguiu comprar a obra por 700 euros e, uma semana depois, a pintura de 96 cm X 76 cm foi entregue em sua casa. O quadro estava em bom estado, mas não havia qualquer sinal da assinatura de Vernet. Até que seu filho de 11 anos chama sua atenção para um detalhe estranho, uma inscrição escondida atrás do desenho de um arbusto: "1864 A. Renoir".

Ahmed Ziane e a suposta pintura de Renoir que comprou num site de produtos de segunda mão - Imagem: Le Figaro

Sabe-se que, em sua juventude, Pierre-Auguste Renoir pintou um quadro denominado Noite de Verão e que ele foi exposto em 1865. Após essa data, a pintura nunca mais foi vista. Sabia-se de sua existência, mas ninguém possuía nenhuma informação sobre ela – sequer sobre suas dimensões, afirmou a Réunion des Musées Nationaux, entidade que preside os museus na França. A tela estava ausente até do catálogo raisonné das 4.654 obras de Renoir organizado pela galeria de arte Beinheim-Jeune e estava classificada entre as obras de arte perdidas pelo Institut National d’Histoire de l’Art (INHA). Teria sido finalmente encontrada?

Ahmed Ziani realmente pode ter tirado a sorte grande. A pintura reúne vários elementos usuais nas obras de Renoir, como o tipo de tela utilizado e a camada de gesso branco que o mestre costumava espalhar sobre a superfície antes de começar a pintar. O Ciram, laboratório de análise e autenticação de objetos de arte sediado em Bordeaux, foi bem otimista: não somente confirma que a tela misteriosa foi criada nos anos 1860, como revela que o estilo e os pigmentos utilizados foram igualmente detectados em outras telas assinadas por Renoir no período. Tomara que esteja certo! Quisera eu achar um Renoir por 700 reais na OLX. Um Eliseu Visconti, aliás, já estaria de bom tamanho! O único problema (ou não!) é que eu não teria coragem de vendê-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário