segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Monte Alegre do Sul. Fuja para lá!

Tranquilidade. Fontes naturais. Boa comida. E verde, muito verde. Se você está desesperado(a) para dar uma fugida de Sampa (ou de qualquer outro lugar) para descansar, caminhar em meio à natureza, respirar ar puro, se alimentar bem ou simplesmente “dar um tempo” sem se preocupar com o relógio, a dica é Monte Alegre do Sul, uma encantadora cidadezinha fundada oficialmente em 1873 no Circuito das Águas do estado de São Paulo. 

Entrada de residência da cidade - Foto: Simone Catto

Fonte da Índia - Foto: Simone Catto

Meu refúgio é o hotel Riacho Verde, que fica na estrada entre Amparo e Monte Alegre. Estive lá no primeiro final de semana de agosto e fui duplamente premiada: aproveitei o festival de morango no hotel e a festa do Senhor Bom Jesus, padroeiro da cidade. O hotel tem chalés aconchegantes, além de apartamentos, e está instalado numa área enorme, no meio da natureza, com uma vista de tirar o fôlego.  

Piscinas encravadas na natureza - Foto: Simone Catto

Detalhe digno de nota: apesar das dimensões do lugar, o charme e o atendimento, extremamente gentil, equiparam-se ao padrão das pousadas mais exclusivas. Há 4 piscinas encravadas no meio do verde, várias opções de lazer e um excelente custo-benefício, inclusive porque o sistema de pensão completa inclui todas as refeições. Este item, aliás, merece destaque: a comida é saborosa, supervisionada de perto pela proprietária, que literalmente “põe a mão na massa” nos pães caseiros, temperos preparados no capricho, doces, tudo fresquinho e de excelente qualidade. As verduras são de lá mesmo, da horta do hotel. E durante o mês de agosto, o pacote de fim de semana ainda inclui fondue de chocolate no sábado (nham!). É o que chamo de ‘perdição imperdível’! Mas não há problema: no dia seguinte, é só gastar as calorias na quadra de tênis, suar a camisa na quadra poliesportiva ou simplesmente caminhar, caminhar, caminhar... afinal, a cidade de Monte Alegre do Sul é uma graça. Pequenina, charmosa e repleta de fontes antigas de água cristalina. Se preferir, pegue o carro e vá bater perna em Serra Negra, estância hidromineral famosa pelo comércio de malhas, distante apenas 8 Km. Ou então vá até Pedreira, a cidade das porcelanas, que fica a 25 km da cidade.

Um dos aconchegantes chalés do hotel - Foto: Simone Catto

Além das fontes espalhadas por Monte Alegre, não deixe de conhecer as cachoeiras, o Balneário Municipal colado às montanhas, o Mirante do Cruzeiro, ao lado do Santuário do Senhor Bom Jesus, o Centro Histórico com suas casinhas centenárias e os alambiques das famílias italianas que se instalaram na região. Na Associação dos Produtores de Cachaça, no centro da cidade (R. Cel. Luiz Leite, 4), você encontra uma boa amostra para compra ou degustação. Para saber mais, acesse http://www.montealegredosul.sp.gov.br/.

A festa do padroeiro e do aniversário da cidade, na primeira semana de agosto, é um capítulo à parte: verdadeira quermesse de interior, com barracas de alimentos, doces, roupas, utensílios para casa, brinquedos e até ferramentas. Tudo na praça em torno da igreja, que estava lotada no sábado. Em um salão, deliciosas sopas eram servidas e uma simpática senhorinha vendia quitutes da Fazenda Atalaia (19-3807-5545): pães macios, queijos e biscoitos amanteigados que derretem na boca de tão leves. Uma das barracas sorteava “prendas”, leitões e bolos, muitos bolos. Sim, bolos com chantilly, glacê e tudo o que tinham direito! (Nunca vi tantos bolos juntos ao mesmo tempo!) Os interessados compravam os números e esperavam sua rodada do sorteio. O sorteado ganhava o bolo e saía andando com ele pela festa - hilário! É por essas e outras que Monte Alegre do Sul é uma cidade adorável e merece uma visita. Fica a dica!

3 comentários:

  1. muito legais essas dicas. vou conhecer.

    ResponderExcluir
  2. eu fui ! bem bacana...

    ResponderExcluir